Silvio Guerini

Não existe outro hoje senão o agora!

Textos


Vento de luz incandescido


Eu te amo como o vento
que não se pega
não se toca... como alma do além
mas cujo sentimento
como se fosse uma força também
feito intangível abraço
quando teu corpo inteiro envolve
te completa no espaço
e como benção devolve
na tua pele que arrepia
sentindo minha boca tão perto
no ar que ao teu redor rodopia
te embriagando de amor decerto

Eu te amo como a luz
que não se suja
não se curva... nem se detém
e mesmo de longe seduz
quando te faço refém
como se ao teu redor um laço
feito fita de vermelho cetim
te envolvesse num abraço
que te amarra tão perto de mim
sentindo meu coração tão perto
perto do teu a bater
enchendo teu ser decerto
de todo amor que te faz viver

Eu te amo como um fogo
que não se apaga
não se doma... nem se contém
e desse calor como num jogo
de volúpia que não se retém
faz corpos que se desejam
bocas que se perdem em beijos
almas que no prazer vicejam
enfeitiçadas por tantos desejos
de que esse puro sentimento
que parece tanto com loucura
seja como um fogo, como a luz e o vento
das nossas vidas a maior ventura


13 de maio de 2007, 19h09
guerinis@uol.com.br

Silvio Guerini
Enviado por Silvio Guerini em 10/12/2007
Alterado em 10/12/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e link para o site www.silvioguerini.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras