Silvio Guerini

Não existe outro hoje senão o agora!

Textos


O que era doce...


Nosso amor virou um fel
virou inverno
uma torre de Babel
ficou inferno
virou negrume que cobre o céu
e o que um dia foi eterno
parecido com o mel
doce como um beijo terno
virou brinquedo de papel
arrancado dum caderno
jogado num canto ao léu
e o sentimento que não governo
faz dos meus sonhos carrossel
me fez da dor um subalterno
como confesso e destemperado réu
e o que um dia foi externo
uma paixão exposta sem véu
agora mora no interno
num peito só de aluguel
coração fugindo do inverno
do vazio que virou fogaréu
queimando minh’alma no inferno
pois nosso amor que era doce... virou fel


03 de outubro de 2007, 19h52
guerinis@uol.com.br


Silvio Guerini
Enviado por Silvio Guerini em 16/11/2007
Alterado em 16/11/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e link para o site www.silvioguerini.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras